Pular para o conteúdo principal

Quando a democracia é apenas um véu

Mafalda - Quino

Por: Elton Duarte Batalha

A eleição de Daniel Ortega ocorrida nesse mês na Nicarágua é demonstração cabal que a experiência democrática demanda muito mais que o simples cumprimento de alguns ritos formais. É necessário que o corpo da democracia seja preenchido por um conteúdo específico que nem sempre existe em vários países do mundo. A lição deixada pelo pleito realizado no mencionado país da América Central deve ser absorvida em vários lugares do globo, inclusive no Brasil.

Escolhido para dirigir o país pela quarta vez consecutiva como Presidente da República, Ortega tem como vice, curiosamente, sua esposa Rosario Murillo, reeleita para tal posto. Esse fato já realça um aspecto característico de muitos países latino-americanos: o patrimonialismo. A confusão entre os campos público e privado, ao que parece, é elemento presente na vida política nicaraguense, assim como viceja há muito tempo em terras brasileiras. Seja sob a forma de assunção de cargo público, seja pelo favorecimento para a realização de negócios no campo econômico, a prática patrimonialista corrói o conceito de república e, automaticamente, diminui a efetividade da participação popular no exercício do poder.

Outro aspecto que deve ser observado na Nicarágua foi o tratamento conferido à oposição durante o período eleitoral. Sete pré-candidatos que poderiam fazer frente ao Presidente candidato à reeleição foram presos, algo incomum em qualquer país que se diga democrático. Eventualmente, imagina-se, um candidato que poderia ter feito algo ilegal a ponto de ser levado à cadeia após processo regular, mas o número elevado de prisão de opositores evidencia que o direito pode ter sido utilizado para impossibilitar a concorrência ao poder consoante regras verdadeiramente democráticas. A história, aliás, apresenta variados momentos em que o regramento jurídico, como instrumento que é, tem a aptidão de ser utilizado tanto para fins nobres quanto para objetivos deletérios.

Na democracia, como demonstrado, a mera existência de eleições não é suficiente para caracterizá-la. Liberdade de expressão, necessária inclusive para o exercício legítimo da oposição, não é algo negociável em um ambiente que se pretenda adequado para a verdadeira manifestação de vontade popular. Sempre importante ressaltar a fundamentalidade do direito de exprimir-se de forma livre, especialmente em tempos nos quais ronda a política brasileira a proposta de regulação das mídias sociais. Sob a roupagem de pretensa democratização dos meios de comunicação, pode estar repousando o velho e conhecido anseio autoritário de camadas da sociedade (e da política à direita e à esquerda, consequentemente) de tutelar o que deve ser dito. A longo prazo, o controle sobre o que deve ser falado e escrito tem o condão de degenerar aquilo que é pensado.

A experiência nicaraguense é, enfim, exemplo a não ser seguido ou aplaudido por qualquer país que tenha entre seus objetivos aprofundar a existência democrática. Quando a democracia torna-se apenas um simulacro, cabe observar o processo de deterioração das estruturas que estão ocultas e que servem de premissas à experiência de governo autenticamente popular. O ódio à divergência, a perseguição a quem pensa diferente (muito comum em época de ‘cancelamentos’ virtuais) e a tentativa de dominar os meios de comunicação não são elementos estranhos à vivência brasileira atual. Cabe à sociedade, portanto, ficar atenta para evitar que o monstro do autoritarismo, sempre à espreita, seduza os incautos com um malicioso sorriso oculto sob o véu da democracia.

* Elton Duarte Batalha é professor de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, advogado e doutor em Direito pela USP.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos arrombam 'presídio' e estão à solta em Envira

Envira - Nos últimos meses os cidadãos envirenses tem observado alarmados o aumento da criminalidade em nossa tão amada cidade. Todos os dias observamos postagens nas redes sociais, status de WhatsApp e mensagens em grupos de cidadãos denunciando roubos e furtos. É preocupante pensar que Envira esteja passando por uma situação como essas: furtos, assaltos, roubos ou a cobrança de pedágios ao tentar entrar em determinados bairros e ruas. Não existe uma preferência, rouba-se veículos, smartphones, alimentos, roubas e até animais. Além de todos esses problemas ainda existe a enorme preocupação com o tráfico de drogas, a violência crescentes e a ociosidade dos jovens. As informações que temos é que após o pedido de remoção do Tenente Felipe Cerqueira (feito por ele mesmo), outros policiais que são muito queridos e bastante competentes em suas ações, também pediram remoção e estarão deixando a cidade de Envira futuramente. Nossa cidade perderá um destacamento de policiais em um momento cru

Há 2 dias jovem em situação grave aguarda regaste aéreo em Envira

Envira - Na última quinta-feira (04), o jovem Adenízio da Silva, mais conhecido como Diezon, se acidentou com uma arma de fogo. De acordo com informações repassadas pelos seus familiares, o jovem encontrava-se em uma embarcação de pesca, onde fazia a limpeza de uma arma de fogo, enquanto acidentalmente acabou apertando o gatilho da arma, que veio a disparar em seu rosto. O jovem encontra-se internado na Unidade Hospitalar do Município de Envira aguardando sua transferência para a Capital, familiares informam que ele encontra-se com a bala ainda alojada na garganta, com ferimentos graves no trato respiratório e com grande dificuldade de respirar. A família informou que desde o momento que o jovem deu entrada no hospital a equipe médica comunicou a gravidade da situação que o jovem se encontra, e que tem buscado contato com os gestores municipais solicitando ajuda, mas não tem conseguido uma resposta exata sobre quando ocorrerá a transferência do mesmo. 

Em Eirunepé-AM, PMAM captura foragido do Sistema Prisional de Envira

Indivíduo de 29 anos foi conduzido e entregue na Delegacia de Polícia de Eirunepé Eirunepé - Policiais militares da 1ª Companhia Independente de Policia Militar - CIPM, apreenderam por volta das 20h, desta terça feira (07), um meliante de 29 anos que encontrava-se foragido do Sistema Prisional de Envira, o mesmo estava escondido em uma residência no bairro de São Domingos. Os policiais detiveram o foragido após recebimento de várias denúncias informando que o mesmo se encontrava escondido na residência. Após investigação foi confirmado a denúncia, o mesmo foi preso pela guarnição da 1ª CIPM e em seguida encaminhado ao 7º DIP-AM.