Pular para o conteúdo principal

Entidade rural cobra do governo do Amazonas situação fundiária de três seringais

Por: Márcio Nunes

A presidente da Federação dos Produtores Rurais e Associação Cooperativista do Acre e do Sul do Amazonas (FACEASA), Rosana Nascimento, acompanhada de produtores rurais da Linha Cunha Gomes (divisa do Acre com Amazonas),  esteve no gabinete do secretário das Cidades e Territórios do Amazonas para solicitar um documento da situação fundiária dos seringais Porto Central,  São Domingos e Paulatina. A expedição deste documento do governo do Estado servirá para que a superintendência do Instituto Nacional de Colonização da Reforma Agrária (Incra) possa arrecadar estas áreas para o programa da reforma agrária. “O documento poderá  evitar o despejo das famílias de posseiros no seringal Porto Central que estão sendo ameaçadas, enquanto outras famílias estão na iminência de serem expulsas das suas posses ”, observou.

Destacou que será realizada uma audiência pública para fazer uma discriminatória judicial destas áreas em conflito. Acredita no apoio da Defensoria Pública da União (DPU), do Ministério Público Federal (MPF) e do Instituto Nacional de Colonização da Reforma Agrária (Incra) para mediarem o processo de regularização destas terras devolutas da União.  Acrescentou ainda, que a ideia é que as terras sejam destinadas para quem tem direito, os que vivem nas áreas de conflito desde 2008, mas que têm como comprovar que tem a posse dos posseiros anteriores para serem assentados definitivamente nas terras da União.   

“Acreditamos que a medida pode contemplar mil famílias de produtores rurais, mas não queremos que seja criado um assentamento com apenas duas hectares para cada assentado, com uma reserva legal coletiva”,   declarou.    

Desde 1997, a grilagem de terras começou na linha Cunha Gomes, com a chegada dos grileiros e madeireiros ao seringal Pirapora, após o governo federal reconhecer um processo de revisão da divisa do Acre com o Amazonas. Em seguida, os seringais de Porto Central, Andirá, Capatará,  São Domingos  e Paulatina transformaram em palco de conflito na zona rural dos municípios de Porto Acre, Sena Madureira, Manuel Urbano, Tarauacá, inclusive a Boca do Acre, Envira e Lábrea, localizada na região Sul do Amazonas. 

A disputa pelas terras do seringal Porto Central se arrasta por mais de uma década, depois o Incra/Acre, emitiu um parecer   comprovando que o fazendeiro invadiu as terras devolutas da União, onde vivia 32 posseiros, há mais de duas décadas. Oito famílias que foram despejadas do Porto Central, não puderam retornar as suas colocações devido à falta de uma sentença do magistrado do caso, mesmo comprovando na justiça que as terras sob litígio não fazem parte da área reivindicada pelo proprietário da fazenda Boa Sorte. 

O processo de regularização fundiária destas áreas ao longo da Linha Cunha Gomes continuam emperrados por conta dos litígios nos tribunais dos nos estados do Acre e Amazonas ou em fase de análise prévia nos escritórios regionais do Instituto Nacional de Colonização da Reforma Agrária (Incra) para serem  arrecadadas ao programa de reforma agrária. Apesar das   terras que fazem parte dos seringais Porto Central e Andirá, terem sido arrecadadas pelo Incra,  mas nenhuma família de pequenos agricultores  foi  assentada na área devoluta da União.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos arrombam 'presídio' e estão à solta em Envira

Envira - Nos últimos meses os cidadãos envirenses tem observado alarmados o aumento da criminalidade em nossa tão amada cidade. Todos os dias observamos postagens nas redes sociais, status de WhatsApp e mensagens em grupos de cidadãos denunciando roubos e furtos. É preocupante pensar que Envira esteja passando por uma situação como essas: furtos, assaltos, roubos ou a cobrança de pedágios ao tentar entrar em determinados bairros e ruas. Não existe uma preferência, rouba-se veículos, smartphones, alimentos, roubas e até animais. Além de todos esses problemas ainda existe a enorme preocupação com o tráfico de drogas, a violência crescentes e a ociosidade dos jovens. As informações que temos é que após o pedido de remoção do Tenente Felipe Cerqueira (feito por ele mesmo), outros policiais que são muito queridos e bastante competentes em suas ações, também pediram remoção e estarão deixando a cidade de Envira futuramente. Nossa cidade perderá um destacamento de policiais em um momento cru

Há 2 dias jovem em situação grave aguarda regaste aéreo em Envira

Envira - Na última quinta-feira (04), o jovem Adenízio da Silva, mais conhecido como Diezon, se acidentou com uma arma de fogo. De acordo com informações repassadas pelos seus familiares, o jovem encontrava-se em uma embarcação de pesca, onde fazia a limpeza de uma arma de fogo, enquanto acidentalmente acabou apertando o gatilho da arma, que veio a disparar em seu rosto. O jovem encontra-se internado na Unidade Hospitalar do Município de Envira aguardando sua transferência para a Capital, familiares informam que ele encontra-se com a bala ainda alojada na garganta, com ferimentos graves no trato respiratório e com grande dificuldade de respirar. A família informou que desde o momento que o jovem deu entrada no hospital a equipe médica comunicou a gravidade da situação que o jovem se encontra, e que tem buscado contato com os gestores municipais solicitando ajuda, mas não tem conseguido uma resposta exata sobre quando ocorrerá a transferência do mesmo. 

Em Eirunepé-AM, PMAM captura foragido do Sistema Prisional de Envira

Indivíduo de 29 anos foi conduzido e entregue na Delegacia de Polícia de Eirunepé Eirunepé - Policiais militares da 1ª Companhia Independente de Policia Militar - CIPM, apreenderam por volta das 20h, desta terça feira (07), um meliante de 29 anos que encontrava-se foragido do Sistema Prisional de Envira, o mesmo estava escondido em uma residência no bairro de São Domingos. Os policiais detiveram o foragido após recebimento de várias denúncias informando que o mesmo se encontrava escondido na residência. Após investigação foi confirmado a denúncia, o mesmo foi preso pela guarnição da 1ª CIPM e em seguida encaminhado ao 7º DIP-AM.