Pular para o conteúdo principal

Artigo de opinião: A urgência da proteção de dados no mundo pós-pandemia


 Por Leandro Augusto

Com a pandemia da covid-19, clientes e funcionários, rapidamente, se acostumaram a usar serviços virtuais em praticamente toda rotina diária. Ao mesmo tempo, líderes de empresas viram a necessidade de ajustar os modelos de negócios, direcionando-os para canais digitais e implementando soluções tecnológicas aceleradas como, por exemplo, a migração para a computação em nuvem.

No entanto, na enxurrada de transformações aceleradas e implementações ágeis, as organizações podem ter provocado vulnerabilidades diante dessa nova exposição em massa, gerando um número crescente de riscos aos negócios. Adicionalmente, desde o início da crise sanitária, houve um crescimento significativo de crimes cibernéticos organizados por grupos de hackers que estão prontos para explorar os potenciais pontos fracos nos sistemas de tecnologia.

A pandemia também trouxe a percepção de que algumas organizações não estão tão seguras. Com isso, os líderes das empresas têm enxergado cada vez mais a questão da proteção de dados dos negócios como demanda prioritária e uma área de investimento. Eles não apenas tratam a segurança cibernética como elemento fundamental para o sucesso futuro, mas também buscam gerar a confiança no cliente, na resiliência cibernética, na proteção de dados confidenciais e na transparência de abordagem.

No passado, era comum as organizações enxergarem as funções de segurança como obstáculos ao progresso. Essa percepção, no entanto, deve ser deixada de lado. Com a jornada digital das empresas ocorrendo mais rápido do que nunca, espera-se que elas desenvolvam uma motivação para adotar a segurança cibernética como facilitador.

Em um ambiente de risco global dinâmico, as organizações devem se certificar de que estão mais bem posicionadas para ter sucesso diante da nova realidade. Há alguns aspectos a serem considerados no investimento à proteção de informação das empresas, tendo em vista a confiança e o crescimento dos negócios. Dois desses tópicos são os seguintes: repensar a cultura com base em uma segurança por design que consiste em uma abordagem pragmática, considerando a segurança como suporte de qualquer nova iniciativa de negócios e proporcionando uma confiabilidade em todos os níveis; tornar a proteção discreta, mas robusta em cada interação de negócios e, com isso, formar uma oportunidade de construir confiança, incorporando os controles de segurança e de privacidade.

Os ataques cibernéticos têm se modernizado cada vez mais e alguns invasores estão reutilizando senhas de usuários roubadas em violações de dados. A autenticação multifator (por exemplo, usar um aplicativo de autenticação ou passar por verificações de segurança adicionais) pode proteger clientes contra esse tipo de crime. Quando realizada com cautela, essa autenticação pode ser transparente, adaptada aos riscos em torno da transação e inspirar confiança na segurança do serviço. Os ataques de ransomware (código malicioso que torna inacessível os dados armazenados em um equipamento e que exige pagamento de resgate para restabelecer o acesso ao usuário) aumentaram à medida que os invasores exploram ambientes de trabalho remotos. Ataques sofisticados deste tipo podem causar desafios de criptografia em grande escala e perda de dados. Portanto, uma estratégia de backup e recuperação de informações é fundamental para organizações.

Em suma, a segurança cibernética tem a possibilidade de apoiar e construir confiança duradoura entre pessoas e organizações. É importante que, as empresas, criem um mundo digital resiliente e transparente, mesmo à frente das ameaças. A combinação de especialização tecnológica, conhecimento de negócios e profissionais criativos permite a formação desse espaço virtual confiável e seguro, superando os novos desafios e adversidades.


Leandro Augusto é sócio-líder de segurança cibernética da KPMG.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos arrombam 'presídio' e estão à solta em Envira

Envira - Nos últimos meses os cidadãos envirenses tem observado alarmados o aumento da criminalidade em nossa tão amada cidade. Todos os dias observamos postagens nas redes sociais, status de WhatsApp e mensagens em grupos de cidadãos denunciando roubos e furtos. É preocupante pensar que Envira esteja passando por uma situação como essas: furtos, assaltos, roubos ou a cobrança de pedágios ao tentar entrar em determinados bairros e ruas. Não existe uma preferência, rouba-se veículos, smartphones, alimentos, roubas e até animais. Além de todos esses problemas ainda existe a enorme preocupação com o tráfico de drogas, a violência crescentes e a ociosidade dos jovens. As informações que temos é que após o pedido de remoção do Tenente Felipe Cerqueira (feito por ele mesmo), outros policiais que são muito queridos e bastante competentes em suas ações, também pediram remoção e estarão deixando a cidade de Envira futuramente. Nossa cidade perderá um destacamento de policiais em um momento cru

Há 2 dias jovem em situação grave aguarda regaste aéreo em Envira

Envira - Na última quinta-feira (04), o jovem Adenízio da Silva, mais conhecido como Diezon, se acidentou com uma arma de fogo. De acordo com informações repassadas pelos seus familiares, o jovem encontrava-se em uma embarcação de pesca, onde fazia a limpeza de uma arma de fogo, enquanto acidentalmente acabou apertando o gatilho da arma, que veio a disparar em seu rosto. O jovem encontra-se internado na Unidade Hospitalar do Município de Envira aguardando sua transferência para a Capital, familiares informam que ele encontra-se com a bala ainda alojada na garganta, com ferimentos graves no trato respiratório e com grande dificuldade de respirar. A família informou que desde o momento que o jovem deu entrada no hospital a equipe médica comunicou a gravidade da situação que o jovem se encontra, e que tem buscado contato com os gestores municipais solicitando ajuda, mas não tem conseguido uma resposta exata sobre quando ocorrerá a transferência do mesmo. 

Em Eirunepé-AM, PMAM captura foragido do Sistema Prisional de Envira

Indivíduo de 29 anos foi conduzido e entregue na Delegacia de Polícia de Eirunepé Eirunepé - Policiais militares da 1ª Companhia Independente de Policia Militar - CIPM, apreenderam por volta das 20h, desta terça feira (07), um meliante de 29 anos que encontrava-se foragido do Sistema Prisional de Envira, o mesmo estava escondido em uma residência no bairro de São Domingos. Os policiais detiveram o foragido após recebimento de várias denúncias informando que o mesmo se encontrava escondido na residência. Após investigação foi confirmado a denúncia, o mesmo foi preso pela guarnição da 1ª CIPM e em seguida encaminhado ao 7º DIP-AM.