Pular para o conteúdo principal

Câmara aumenta ‘Custo Bolsonaro’ com o regresso ao antigo Vale-Gás

Subsídio para o gás de cozinha, de R$ 50,00 por mês, a 15 milhões inscritos no Bolsa-Família representa uma despesa nova equivalente a R$ 9 bilhões anuais


Por José Casado 

Artigo publicado na revista VEJA

Envira fica às margens do rio Juruá, na fronteira do Amazonas com o Acre, a pouco mais de 1.200 quilômetros de Manaus. Ao redor dos igarapés vivem 16 mil pessoas, dois terços com renda inferior a meio salário mínimo. Uma das riquezas do lugarejo está num depósito: 1.000 botijões de gás. Ali, o preço do gás de cozinha ultrapassou R$ 130,00. Ou seja, um cada botijão de gás (13 kg) custa o equivalente à 25% da renda média mensal de quem tem alguma ocupação — e só 800 pessoas têm esse privilégio na economia de Envira. Por sorte, na selva ainda ainda tem madeira para lenha.

Ontem, a Câmara aprovou um “Auxílio-Gás” de R$ 50,00 mensais para famílias pobres, como quase todas de Envira, que já estão inscritas no cadastro social do governo federal. A iniciativa foi do Partido dos Trabalhadores e, agora, será analisada pelo Senado.

É um socorro estatal justificável na emergência do empobrecimento nacional, mas é, também, a marca de um regresso socioeconômico: 

O Vale-Gás existia 21 anos atrás no cardápio de programas sociais do governo Fernando Henrique Cardoso, e acabou incorporado ao Bolsa-Família no governo Lula. 

Sua restauração representa, na prática, um aumento (de R$ 50,00) no valor do atual Bolsa-Família. A aprovação quase unânime, ontem, mostrou que a Câmara decidiu atropelar o governo Jair Bolsonaro, ainda perdido na procura de fontes de financiamento para transformar o velho Bolsa-Família em um novo Auxílio Brasil.

Os deputados repetiram a fórmula política inaugurada no ano passado: no início da pandemia, enquanto o governo se entretinha com cloroquina, eles aprovaram um auxílio-emergencial de R$ 300,00 por mês. 

Para Bolsonaro, que era contra, acabou tendo o efeito de um bálsamo político. O dinheiro foi recebido como uma espécie de dádiva governamental e ajudou a inflar a popularidade do presidente-candidato. Mas acabou em dezembro abruptamente.

Bolsonaro foi de R$ 300 ao zero absoluto na ajuda aos pobres em plena pandemia. O governo levou quatro meses para perceber o erro e, desde então, o presidente-candidato viu minguar suas chances de reeleição nas pesquisas eleitorais.

Agora, em campanha pela reeleição, os deputados já não conseguem explicar aos eleitores porque se paga R$ 130 por um botijão de gás em lugarejos como Envira, no interior do Amazonas. Por isso, embarcaram numa viagem de regrasso ao Vale-Gás do início do milênio.

Feitas as contas, a Câmara aumentou o “Custo Bolsonaro”. Propôs subsídio de R$ 50,00 por mês a 15 milhões de chefes de família inscritos na bolsa social do governo. É despesa nova equivalente a R$ 9 bilhões anuais.

Pela engenharia financeira do projeto do PT, tira-se dinheiro do fundo social, destinado a combater a pobreza, e carimba-se com a marca do Vale-Gás — o mesmo que já havia sido incorporado ao Bolsa-Família no ciclo petista iniciado com Lula, em 2002.

De dinheiro novo, até ontem, Bolsonaro havia conseguido somente R$ 300 milhões numa doação emergencial da Petrobras, cuja transparência na composição de preços para derivados de petróleo passou a ser abertamente questionada na Câmara. Já há coleta de assinaturas para uma CPI.

Mesmo que o Senado aprove e o governo apoie o regresso ao Vale-Gás, o problema continuará na mesa: a política econômica e os preços dos combustíveis no país do pré-sal, agora exportador de petróleo, onde o valor do dólar já beira os R$ 5,50.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos arrombam 'presídio' e estão à solta em Envira

Envira - Nos últimos meses os cidadãos envirenses tem observado alarmados o aumento da criminalidade em nossa tão amada cidade. Todos os dias observamos postagens nas redes sociais, status de WhatsApp e mensagens em grupos de cidadãos denunciando roubos e furtos. É preocupante pensar que Envira esteja passando por uma situação como essas: furtos, assaltos, roubos ou a cobrança de pedágios ao tentar entrar em determinados bairros e ruas. Não existe uma preferência, rouba-se veículos, smartphones, alimentos, roubas e até animais. Além de todos esses problemas ainda existe a enorme preocupação com o tráfico de drogas, a violência crescentes e a ociosidade dos jovens. As informações que temos é que após o pedido de remoção do Tenente Felipe Cerqueira (feito por ele mesmo), outros policiais que são muito queridos e bastante competentes em suas ações, também pediram remoção e estarão deixando a cidade de Envira futuramente. Nossa cidade perderá um destacamento de policiais em um momento cru

Há 2 dias jovem em situação grave aguarda regaste aéreo em Envira

Envira - Na última quinta-feira (04), o jovem Adenízio da Silva, mais conhecido como Diezon, se acidentou com uma arma de fogo. De acordo com informações repassadas pelos seus familiares, o jovem encontrava-se em uma embarcação de pesca, onde fazia a limpeza de uma arma de fogo, enquanto acidentalmente acabou apertando o gatilho da arma, que veio a disparar em seu rosto. O jovem encontra-se internado na Unidade Hospitalar do Município de Envira aguardando sua transferência para a Capital, familiares informam que ele encontra-se com a bala ainda alojada na garganta, com ferimentos graves no trato respiratório e com grande dificuldade de respirar. A família informou que desde o momento que o jovem deu entrada no hospital a equipe médica comunicou a gravidade da situação que o jovem se encontra, e que tem buscado contato com os gestores municipais solicitando ajuda, mas não tem conseguido uma resposta exata sobre quando ocorrerá a transferência do mesmo. 

Em Eirunepé-AM, PMAM captura foragido do Sistema Prisional de Envira

Indivíduo de 29 anos foi conduzido e entregue na Delegacia de Polícia de Eirunepé Eirunepé - Policiais militares da 1ª Companhia Independente de Policia Militar - CIPM, apreenderam por volta das 20h, desta terça feira (07), um meliante de 29 anos que encontrava-se foragido do Sistema Prisional de Envira, o mesmo estava escondido em uma residência no bairro de São Domingos. Os policiais detiveram o foragido após recebimento de várias denúncias informando que o mesmo se encontrava escondido na residência. Após investigação foi confirmado a denúncia, o mesmo foi preso pela guarnição da 1ª CIPM e em seguida encaminhado ao 7º DIP-AM.