Entidades do "Pacto pela Vida e pelo Brasil" divulgam carta em solidariedade ao presidente do TSE e em apoio às urnas eletrônicas - Envira News

Ultimas

Post Ads

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Entidades do "Pacto pela Vida e pelo Brasil" divulgam carta em solidariedade ao presidente do TSE e em apoio às urnas eletrônicas

Presidentes da CNBB, OAB, Comissão Arns, ABC, ABI e SBPC entregaram o documento ao ministro Luís Roberto Barroso durante audiência virtual;

Organizações apontam "tentativas de ruptura da ordem institucional" e afirmam que ameaça de não realização das eleições em 2022 é "ofensa grave que não se pode tolerar"

Agosto de 2021 - Os seis presidentes das entidades que lançaram o " Pacto pela Vida e pelo Brasil ", em abril de 2020, e que já se manifestaram conjuntamente em defesa da democracia no Brasil, entregaram ao presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, documento em que prestam sua solidariedade ao magistrado no "delicado momento político do país" e reiteraram o "apoio incondicional ao sistema eletrônico de votação".

O encontro aconteceu virtualmente nesta quarta-feira (04/08), às 18h00, com a participação de Dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil); Eduardo Damian, presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), representando o presidente da OAB Felipe Santa Cruz; José Carlos Dias, presidente da Comissão Arns (Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns); Luiz Davidovich, presidente da ABC (Academia Brasileira de Ciências); Paulo Jeronimo de Sousa, presidente da ABI (Associação Brasileira de Imprensa); e Renato Janine Ribeiro, presidente da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

No documento, as entidades reconhecem a missão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e apontam tentativas de ruptura da ordem institucional, com o propósito de conturbar o país. A ameaça de não realização das eleições em 2022, para as organizações, "caso o resultado das urnas possa vir a contrariar os interesses daquele que detém o poder", é algo que não pode ser tolerado. A carta também reitera que a integridade do processo eleitoral está "confiada à Constituição, guardiã maior da democracia".

O ministro Luís Roberto Barroso recebeu as declarações de solidariedade das entidades e reagiu ao documento de forma positiva. 

"A causa que nos une a todos é a causa da democracia. Nós podemos concordar, nós podemos divergir, mas o que caracteriza o mundo civilizado é a capacidade de tratar todas as pessoas com respeito e consideração, mesmo na divergência. A vida democrática é feita, hoje, de um debate público permanente entre pessoas livres e iguais, que se tratam com respeito e consideração", afirmou durante o evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Ads