SUS disponibiliza nova opção de tratamento para hemofilia A - Envira News

Ultimas

Post Ads

quinta-feira, 29 de julho de 2021

SUS disponibiliza nova opção de tratamento para hemofilia A

Alternativa é indicada para pacientes com inibidores do fator VIII refratários à terapia de imunotolerância

Um grupo de pacientes com hemofilia A, terá uma nova opção de tratamento na rede pública de saúde, a terapia emicizumabe. O Ministério da Saúde finalizará as tratativas para o fornecimento do medicamento, em continuidade à decisão de incorporar a indicação ao Sistema Único de Saúde, publicada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde no Diário Oficial da União.

A hemofilia A é uma doença que atinge cerca de 11 mil pessoas no Brasil, segundo dados de 2019 do Perfil das Coagulopatias Hereditárias no Brasil. Trata-se de uma doença rara e genética, caracterizada pela deficiência ou anormalidade do fator VIII da coagulação.

Até então, apenas os concentrados de fator VIII de origem plasmática e recombinante faziam parte das tecnologias ofertadas pelo SUS para o tratamento de pacientes com hemofilia A, juntamente com a indução de imunotolerância (ITI), terapia padrão recomendada para pacientes que apresentam inibidores ao fator na tentativa de dessensibilizar o paciente. Entretanto, 30% deles falham a ITI e alguns não possuem indicação para essa terapia por diversas razões, deixando-os sem alternativa terapêutica.

É esse cenário que a nova incorporação pretende mudar. O anticorpo terapêutico, que possui longa duração no organismo permite uma aplicação subcutânea a cada quatro semanas, recentemente incorporado reduz em 96% o índice de sangramento em pacientes sem inibidores e em 68% a taxa anual de sangramentos, por ser capaz de "imitar" a ação do fator de coagulação VIII sem ser bloqueado pelos inibidores, conforme publicado no estudo HAVEN 1.

O tratamento é indicado para aumentar a qualidade de vida de todas as pessoas com Hemofilia A. Vale ressaltar que o medicamento requer prescrição médica e que a relação de risco e benefício deve ser avaliada pelo profissional de saúde de acordo com o perfil e necessidade de cada paciente. É contraindicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a emicizumabe ou qualquer um de seus componentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Ads