Se depender de Bolsonaro o piso salarial dos enfermeiros não sai - Envira News

Ultimas

Post Ads

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Se depender de Bolsonaro o piso salarial dos enfermeiros não sai


O Brasil e o mundo inteiro vive um momento terrível, uma pandemia sem precedentes, milhares de mortos, muita dor e sofrimento e muito desgaste por parte daqueles que estão atuando na linha de frente do combate a pandemia. Uma guerra que vem deixando muitas baixas na sociedade e principalmente nos profissionais da saúde.

Hoje, 12 de maio é comemorado o dia do Enfermeiro, àquele que só tem a graduação, ou especialista, mestre ou doutor, esse profissional que cuida e observa o seu paciente como nenhum outro. Um profissional gabaritado que possui conhecimento técnico-científico pra cuidar do corpo humano e também da mente, sabe os funcionamentos dos órgãos e detalhes da farmacodinâmica e farmacocinética.

O senador Fabiano Cantarato (REDE), é responsável pela PL que cria o piso salarial dos profissionais de enfermagem, um projeto que estava em discussão no Senado. Mas vejam bem, todos somos conhecedores da importância desta profissão no cotidiano de uma sociedade, porém para o atual governo discutir essa pauta não é prioridade, ontem estava marcada uma reunião entre o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, outros senadores e representantes da Enfermagem e o líder do governo.

Infelizmente, para a sociedade e para os próprios profissionais de enfermagem a reunião não aconteceu, uma vez que o líder do governo Jair Bolsonaro, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), não compareceu para discutir o projeto de lei que prevê um piso salarial para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, além de parteiras da rede pública e privada (PL 2.564/2020).

Sem a presença do líder do governo de Jair Bolsonaro, a reunião terminou sem acordo, ao que parece Bolsonaro está pouco se lixando para os profissionais de enfermagem que sobrevivem com 1500 reais mensais, após virar vários plantões. Mas dá de mão beijada, assim sem muito esforço, aumento estratosférico para as forças armadas, que há anos não participam de uma guerra, que nessa pandemia, nem seus hospitais foram abertos para atender os civis. 

DINHEIRO PRA VALORIZAR O ENFERMEIRO NÃO TEM.
MAS PRA PAGAR PICANHA CARÍSSIMA TEM.
PRA ALICIAR MILITARES A SEU FAVOR TEM.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Ads