Pular para o conteúdo principal

Desmatamento pode cortar Rio Xingu em dois, aponta relatório de ONG

O Xingu corre o risco de ser cortado em dois pelo desmatamento na região, segundo monitoramento realizado ao longo de três anos pelo Sirad X, sistema de detecção de desmate da Rede Xingu +, do ISA (Instituto Socialambiental). O acompanhamento em questão teve início pouco antes da ascensão de Jair Bolsonaro (sem partido) à presidência. 

Sob Governo Bolsonaro, o Brasil vê a explosão do desmatamento em todo o país, com os maiores níveis de destruição de florestas em mais de dez anos. 

A análise da Rede Xingu +, que usa dados do satélite de radar Sentinel-1 da ESA (Agência Espacial Europeia), mostra que, de 2018 a 2020, houve o desmatamento de 513,5 mil hectares de floresta na bacia do Xingu. A área desmatada equivale a cerca de cinco vezes o município de Belém, no Pará. "Esse é o pior de nossos pesadelos", afirma Biviany Rojas, coordenadora do programa Xingu, da ONG ISA, sobre o desmatamento possivelmente atravessar a região de lado a lado. 

Uma das frentes de desmatamento que pode causar esse corte vem das ações de derrubada de floresta a partir da BR-163. A outra parte da APA (Área de Proteção Ambiental) Triunfo do Xingu, localizada nos municípios de Altamira e São Félix do Xingu, ambos no Pará, duas das cidades com maiores níveis de desmate do país. São Félix tem o maior rebanho bovino do país e, por isso e pelo desmate no município, é líder de emissões de gases-estufa, segundo dados do Seeg Municípios (Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa), iniciativa do Observatório do Clima, rede com mais de 50 ONGs. 

A APA Triunfo do Xingu é uma unidade de conservação que permite uso sustentável. Ela, porém, é a que possui maior desmatamento na bacia do Xingu e há mais de uma década é a área protegida mais devastada do Brasil, aponta a análise do Sirad X. 

Segundo o documento, mais de 40% da área dessa unidade de conservação já foi convertida e a pecuária é a principal atividade de pressão de desmatamento na área. 

De acordo com Ricardo Abad, analista de geoprocessamento do Isa, nas áreas protegidas da região é possível observar o desmatamento seguindo áreas de CAR (Cadastro Ambiental Rural), registro que todo proprietário de terras no país deve fazer. Na Floresta Estadual do Iriri, a análise aponta que atualmente há 201 imóveis rurais cadastrados que ocupam cerca de 90% da floresta. Em 2012, eram 39 propriedades registradas. 

Segundo o documento de análise do Sirad, os registros nessa área de proteção apontam para uma ocupação irregular de terras públicas, ou seja, grilagem. A quebra desse corredor ecológico do Xingu traz preocupações ambientais quanto à perdas de biodiversidade, além da ampliação de desmatamento. "É um corredor que liga a parte da floresta densa no Pará com uma região de transição nas cabeceiras do Xingu", diz Abad. 

Também preocupa a questão sociocultural, considerando as terras indígenas da região, sob intensa pressão de desmatamento. Um exemplo citado pelo relatório é a TI (Terra Indígena) Trincheira Bacajá, do povo xikrin, que só em 2019 perdeu 5.600 hectares de mata, o maior desmatamento desde a sua homologação. As lideranças xikrin também foram ameaçadas de morte nesse ano. 

Já no fim de 2020, um grupo de invasores da Terra Indígena Apyterewa, vizinha da Trincheira Bacajá, cercou uma base de monitoramento usada pelo Ibama, Funai e Força Nacional, hostilizou uma equipe de fiscalização e incendiou uma ponte de madeira que dá acesso à terra indígena. 

Desde o início do governo Bolsonaro, ganhou força o mercado ilegal de lotes dentro das terras indígenas que fazem parte da bacia do Xingu, a partir da expectativa de uma possível regularização posterior das ocupações. 

O presidente Bolsonaro tem constantemente incentivado atividades, como mineração, dentro de terras indígenas. O relatório do monitoramento Sirad aponta uma estrada que cresceu, recentemente, cerca de 40 km para dentro da Trincheira Bacajá. Segundo o documento, existem pelo menos três frentes de invasão nesse território, "cada vez mais próximas das aldeias".



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos arrombam 'presídio' e estão à solta em Envira

Envira - Nos últimos meses os cidadãos envirenses tem observado alarmados o aumento da criminalidade em nossa tão amada cidade. Todos os dias observamos postagens nas redes sociais, status de WhatsApp e mensagens em grupos de cidadãos denunciando roubos e furtos. É preocupante pensar que Envira esteja passando por uma situação como essas: furtos, assaltos, roubos ou a cobrança de pedágios ao tentar entrar em determinados bairros e ruas. Não existe uma preferência, rouba-se veículos, smartphones, alimentos, roubas e até animais. Além de todos esses problemas ainda existe a enorme preocupação com o tráfico de drogas, a violência crescentes e a ociosidade dos jovens. As informações que temos é que após o pedido de remoção do Tenente Felipe Cerqueira (feito por ele mesmo), outros policiais que são muito queridos e bastante competentes em suas ações, também pediram remoção e estarão deixando a cidade de Envira futuramente. Nossa cidade perderá um destacamento de policiais em um momento cru

Há 2 dias jovem em situação grave aguarda regaste aéreo em Envira

Envira - Na última quinta-feira (04), o jovem Adenízio da Silva, mais conhecido como Diezon, se acidentou com uma arma de fogo. De acordo com informações repassadas pelos seus familiares, o jovem encontrava-se em uma embarcação de pesca, onde fazia a limpeza de uma arma de fogo, enquanto acidentalmente acabou apertando o gatilho da arma, que veio a disparar em seu rosto. O jovem encontra-se internado na Unidade Hospitalar do Município de Envira aguardando sua transferência para a Capital, familiares informam que ele encontra-se com a bala ainda alojada na garganta, com ferimentos graves no trato respiratório e com grande dificuldade de respirar. A família informou que desde o momento que o jovem deu entrada no hospital a equipe médica comunicou a gravidade da situação que o jovem se encontra, e que tem buscado contato com os gestores municipais solicitando ajuda, mas não tem conseguido uma resposta exata sobre quando ocorrerá a transferência do mesmo. 

Em Eirunepé-AM, PMAM captura foragido do Sistema Prisional de Envira

Indivíduo de 29 anos foi conduzido e entregue na Delegacia de Polícia de Eirunepé Eirunepé - Policiais militares da 1ª Companhia Independente de Policia Militar - CIPM, apreenderam por volta das 20h, desta terça feira (07), um meliante de 29 anos que encontrava-se foragido do Sistema Prisional de Envira, o mesmo estava escondido em uma residência no bairro de São Domingos. Os policiais detiveram o foragido após recebimento de várias denúncias informando que o mesmo se encontrava escondido na residência. Após investigação foi confirmado a denúncia, o mesmo foi preso pela guarnição da 1ª CIPM e em seguida encaminhado ao 7º DIP-AM.