Seguradora doa 7 mini usinas de oxigênio para hospitais do Amazonas - Envira News

Ultimas

Post Ads

sexta-feira, 26 de março de 2021

Seguradora doa 7 mini usinas de oxigênio para hospitais do Amazonas

Juntas, as 7 unidades produzem o equivalente a 30.660 cilindros, necessários para fornecer oxigênio por 365 dias ininterruptamente para 28 leitos - mas com menos custos e de forma sustentável

A seguradora Zurich através da Z Zurich Foundation, uma fundação de caridade estabelecida por vários membros da divisão Zurich Insurance Group dedicada a apoiar investimentos em projetos comunitários, está doando 7 mini usinas de oxigênio que serão destinadas a hospitais do Amazonas. A ação contribuirá com o tratamento das vítimas de Covid-19 que hoje ocupam mais de 90% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dos estabelecimentos de saúde locais.

Consideradas como uma das melhores alternativas para desafogar a pressão sobre a rede pública de saúde para atender as vítimas da doença, as mini usinas salvam mais vidas porque produzem oxigênio medicinal onde estiverem instaladas, que pode ser um hospital ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA), por exemplo, retirando o oxigênio do ar e transformando em O2. Desta forma, o gás pode ter uso imediato, sem que para tal precise ser acondicionado em cilindros que precisam ser substituídos quando vazios. 

Uma única mini usina é capaz de suprir as necessidades de oxigênio medicinal de 4 leitos de forma constante. Sem ela, são necessários 4.380 cilindros de 10 m3 em um único ano para mantê-los supridos 24 horas por dia.

Outra vantagem é que mini usinas liberam o uso de cilindros para outros locais além de UTIs (como salas de emergência, hospitais de campanha e ambulâncias) e, também, para o tratamento de outras doenças, já que hoje estão sendo usados emergencialmente para o coronavírus - mas são igualmente necessários para o tratamento de diversas patologias.

A ação social da Zurich é em prol da campanha SOS Manaus e está sendo feita por meio da ONG União BR, liga de uniões estaduais criada em 2020 para salvar e beneficiar vidas. Desde então, a iniciativa da organização não governamental beneficiou mais de 9 milhões de brasileiros de norte a sul do país.

De acordo com o diretor executivo responsável por sustentabilidade na Zurich no Brasil, Rodrigo Barros, a companhia se sensibilizou com o colapso de saúde que vive todo o estado do Amazonas. Por isso, decidiu por colaborar, via União BR, em uma frente que vem fazendo um trabalho de valor incalculável para responder à crise humanitária e sanitária sem precedentes, causada pelo novo coronavírus.

Explica o executivo: "Todos os doentes dos hospitais, em especial vítimas da Covid-19 em estado grave, dependem de oxigênio medicinal durante o tratamento. Desta forma, a doação de mini usinas se caracterizaria como um meio efetivo e duradouro de contribuir para solução dos problemas de falta de cilindros no Amazonas. Juntas, as sete mini usinas podem abastecer até 28 leitos de UTI com O2 de forma constante, liberando os cilindros para outras enfermidades. Além disso, com o suporte da Z Zurich Foundation, os equipamentos ficarão como legado para os hospitais e UPAs do Amazonas, beneficiando a população do estado por muito mais tempo".

Benefícios das mini usinas

• Cada paciente grave de Covid-19 utiliza, em média, pouco mais que um cilindro e meio de O2 por dia. Caso esteja em estado moderado, o doente utiliza praticamente um cilindro diariamente. Acontece que este é um recurso que tem se mostrado escasso e envolve questões logísticas complexas para chegar aos hospitais e clínicas de Manaus, que vivem um momento particular de colapso.

• Embora fundamentais para a manutenção da vida dos doentes de Covid-19, a troca dos cilindros é uma operação de risco. Some-se a isso que a operação estressa os profissionais de saúde que estão na linha de frente.

• Se um cilindro de 10 m3 abastece um leito de UTI por até 8 horas, uma única miniusina é capaz de prover 4 leitos de enfermaria de forma simultânea com uma fonte ininterrupta de oxigênio.

• Os equipamentos não precisam estar conectados aos cilindros de O2; para funcionar necessitam apenas que estejam ligados a uma fonte de energia elétrica para que retirem do ar o oxigênio que é fornecido aos pacientes. É, portanto, uma solução sustentável e permanente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Ads