Política externa brasileira virou "mini" série da grande familí(ci)a - Envira News

Ultimas

Post Ads

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Política externa brasileira virou "mini" série da grande familí(ci)a


Quais riscos corremos quando há uma certa "dificuldade" aos atores da política brasileira quanto aos seus papéis e cargos nessa trama?

De vez em SEMPRE, nos deparamos com situações assim, os filhos do presidente do Brasil criando confusão com o parceiro comercial mais importante que temos. E tudo isso por culpa de quê? Ideologia? Inflar o ego do gado? Criar mais uma cortina de fumaça? 

Sabes o que significa o comércio China/Brasil, 35 bilhões de dólares, é quanto os Chineses derramam aqui. Nunca o nosso país teve um comprador como os Chineses. Eduardo Bolsonaro, acusa-os de serem espiões, esquece que quem espionava era os Americanos. 

Existe um ditado bem claro sobre situações assim: 
SE NÃO QUER AJUDAR, NÃO ATRAPALHA!
Vamos explicar melhor no raciocínio abaixo:

1 – Até setembro de 2020 o Brasil exportou US$ 156,5 bilhões e importou US$ 114,3 bilhões, gerando um saldo na balança comercial positivo para o Brasil de US$ 42,2 bilhões.

2 – Até setembro de 2020 o Brasil exportou para a nossa inimiga China comunista US$ 53,4 bilhões e importou US$ 24,6 bilhões, gerando um saldo na balança comercial positivo para o Brasil de US$ 28,8 bilhões.

3 - Até setembro de 2020 o Brasil exportou para a nossa inimiga Argentina comunista US$ 5,9 bilhões e importou US$ 5,5 bilhões, gerando um saldo na balança comercial positivo para o Brasil de US$ 0,4 bilhão.

4 - Até setembro de 2020 o Brasil exportou para o nosso “amigo do peito” Estados Unidos US$ 15,2 bilhões e importou US$ 18,3 bilhões, gerando um saldo na balança comercial negativo para o Brasil de US$ 3,1 bilhões.

Até setembro de 2020 a China e Argentina, inimigos comunistas do Brasil, deixaram um saldo positivo para o Brasil de US$ 29,2 bilhões, e o “amigo do peito” Estados Unidos um saldo negativo de US 3,1 bilhões.

Colocar a nossa respeitada diplomacia a serviço dos interesses familiares do presidente é uma usurpação das atribuições republicanas dos órgãos do estado brasileiro. O Brasil não ganha nada ao insistir nesse tipo de embate desastroso com a China, pelo contrário só perdemos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Ads