Pular para o conteúdo principal

Se não tem pão, que comam brioches!



Nas primeiras semanas do ano, fomos brindados com algumas notícias que escancararam o fosso existente entre as classes de pessoas que estão encasteladas no poder e a real situação financeira da nação. Aqueles que podem influenciar na legislação tomam decisões que interessam apenas a si próprios, sem nem olhar para as necessidades da população. Nenhuma solidariedade com o sofrimento de milhões de pessoas! Julgam-se escolhidos e ungidos por algum deus para pôr e dispor o que lhes apetece. Alguns exemplos: 
O aumento dos nobres juízes do STF, que irá onerar, ainda mais, todo o judiciário; 142 parlamentares (senadores/deputados na ativa ou não) já podem requerer suas aposentadorias de até R$ 33.000,00 mensais; o lobby dos militares para ficarem fora da reforma da previdência
Exemplos não faltam! Os que vivem sob a égide dos privilégios, bancados pelo dinheiro público, são insaciáveis. Não têm nenhuma consideração por aqueles que precisam e sofrem.
A frase que intitula este artigo é popularmente atribuída a Maria Antonieta (1755-1793), rainha da França e esposa de Luís XVI, ambos decapitados pela Revolução Francesa. Na verdade não há nenhuma comprovação histórica de que ela tenha dito estas palavras, mas a frase demonstra, cabalmente, a futilidade dos poderosos elitistas, seu hedonismo e o desprezo pelos menos favorecidos que, na verdade, sustentam sua faustosa vida. A comparação com a realidade brasileira é válida. 
Cerca de 50 milhões de brasileiros vivem abaixo da linha da pobreza, enquanto os "nobres" republicanos vivem como lordes desfrutando de seus privilégios "monárquicos". 
E tudo dentro da lei, assim como na Monarquia liquidada pela Revolução Francesa. Não queremos uma revolução sangrenta, as novas armas são as redes sociais. A pressão popular deve se manifestar, dia e noite, até que todos aqueles que, de alguma maneira, usam o poder em benefício próprio, deixem de fazê-lo. Podemos começar pelo município em que vivemos. A sociedade civil, pacificamente, deve exercer uma pressão contínua em seus governantes. 
Eles estão aí para servirem ao povo, que paga seus salários, e não para se aproveitarem do povo. 
Não devemos aceitar nenhum aumento de impostos, ao contrário, devemos lutar para que os impostos sejam reduzidos. A cultura de gastar pensando que o erário público é um poço sem fundo tem de acabar no Brasil.

A população deve ser protagonista de seu destino. Políticos eleitos são representantes do povo, e a autoridade exercida por eles é delegada pelo voto. A monarquia absolutista, cujos membros julgavam-se eleitos por Deus, já perdeu sua majestade há mais de 200 anos. O Brasil precisa deixar de ser uma República com anacrônicos privilégios monárquicos e agir como uma democracia que protege os que mais necessitam.

Celso Tracco é escritor, palestrante e consultor de negócios - 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presos arrombam 'presídio' e estão à solta em Envira

Envira - Nos últimos meses os cidadãos envirenses tem observado alarmados o aumento da criminalidade em nossa tão amada cidade. Todos os dias observamos postagens nas redes sociais, status de WhatsApp e mensagens em grupos de cidadãos denunciando roubos e furtos. É preocupante pensar que Envira esteja passando por uma situação como essas: furtos, assaltos, roubos ou a cobrança de pedágios ao tentar entrar em determinados bairros e ruas. Não existe uma preferência, rouba-se veículos, smartphones, alimentos, roubas e até animais. Além de todos esses problemas ainda existe a enorme preocupação com o tráfico de drogas, a violência crescentes e a ociosidade dos jovens. As informações que temos é que após o pedido de remoção do Tenente Felipe Cerqueira (feito por ele mesmo), outros policiais que são muito queridos e bastante competentes em suas ações, também pediram remoção e estarão deixando a cidade de Envira futuramente. Nossa cidade perderá um destacamento de policiais em um momento cru

Há 2 dias jovem em situação grave aguarda regaste aéreo em Envira

Envira - Na última quinta-feira (04), o jovem Adenízio da Silva, mais conhecido como Diezon, se acidentou com uma arma de fogo. De acordo com informações repassadas pelos seus familiares, o jovem encontrava-se em uma embarcação de pesca, onde fazia a limpeza de uma arma de fogo, enquanto acidentalmente acabou apertando o gatilho da arma, que veio a disparar em seu rosto. O jovem encontra-se internado na Unidade Hospitalar do Município de Envira aguardando sua transferência para a Capital, familiares informam que ele encontra-se com a bala ainda alojada na garganta, com ferimentos graves no trato respiratório e com grande dificuldade de respirar. A família informou que desde o momento que o jovem deu entrada no hospital a equipe médica comunicou a gravidade da situação que o jovem se encontra, e que tem buscado contato com os gestores municipais solicitando ajuda, mas não tem conseguido uma resposta exata sobre quando ocorrerá a transferência do mesmo. 

Em Eirunepé-AM, PMAM captura foragido do Sistema Prisional de Envira

Indivíduo de 29 anos foi conduzido e entregue na Delegacia de Polícia de Eirunepé Eirunepé - Policiais militares da 1ª Companhia Independente de Policia Militar - CIPM, apreenderam por volta das 20h, desta terça feira (07), um meliante de 29 anos que encontrava-se foragido do Sistema Prisional de Envira, o mesmo estava escondido em uma residência no bairro de São Domingos. Os policiais detiveram o foragido após recebimento de várias denúncias informando que o mesmo se encontrava escondido na residência. Após investigação foi confirmado a denúncia, o mesmo foi preso pela guarnição da 1ª CIPM e em seguida encaminhado ao 7º DIP-AM.